banner

banner

terça-feira, 28 de março de 2017

Durante interrogatório, Guilherme passou maior parte do tempo em silêncio

guilherme
Durante o interrogatório o Guilherme usou o seu direito constitucional de permanecer em silêncio, só respondendo quando lhe foi perguntando se houve participação de uma outra pessoa ao que ele respondeu dizendo que não, se já tinha sido internado em algum hospital psiquiátrico para algum tipo de tratamento ao que também respondeu negativamente e se a motivação era o seu pai ter respondido a um processo criminal a alguns anos atrás, ao que também respondeu que não era este o motivo.
No momento em que ele se apresentou à polícia, entregou um revólver calibre 38 com capacidade para cinco tiros com apenas uma munição intacta e as outras quatro usadas. A arma foi apreendida e dada ordem de prisão uma vez que existia um mandado de prisão preventiva decretada contra ele pelo fato ocorrido.
Guilherme foi conduzido para o Centro de Detenção Provisória da Ribeira onde ficará à disposição da Justiça. O delegado Renê Lopes, que preside o inquérito e conduziu o interrogatório, disse que na próxima segunda-feira dará prosseguimento ao inquérito ouvindo mais testemunhas e remetendo os objetos apreendidos, inclusive a arma, para o Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) para que os mesmos sejam periciados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário