banner

banner

sexta-feira, 17 de março de 2017

Receita Federal vasculha redes sociais em busca de sonegadores

Ostentar um padrão de vida para amigos e familiares nas redes sociais e declarar outro no Imposto de Renda pode sair caro para o contribuinte, e a Receita Federal tem reforçado cada vez mais a fiscalização em sites e redes sociais em busca dessas inconsistências financeiras.
As informações obtidas on-line viram ponto de partida para uma investigação mais detalhada dos auditores. “A gente usa a internet como subsídio. Toda fiscalização é feita com base numa análise de risco, a partir de um algoritmo que varre a internet com palavras-chave e vincula um determinado perfil a critérios já programados,” explica Flavio Vilela, coordenador-geral de Fiscalização da Receita.
Com esse mapeamento, a Receita consegue identificar “laranjas” usados por empresas para sonegação. Esse cruzamento de informações é feito tanto em redes sociais quanto a partir de dados on-line disponíveis em cartórios, diz. Esses dados alimentam o processo de coleta de provas contra o contribuinte suspeito de ocultar informações. Depois que é feito o vínculo entre o patrimônio e a pessoa, a Receita tem base para fazer o lançamento tributário e cobrar eventuais impostos que tenham sido sonegados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário