banner

banner

sábado, 20 de maio de 2017

Santana diz que cancelou passagem para o Brasil após alerta de Dilma sobre prisão

JOÃO
Um dos delatores da Operação Lava Jato, o marqueteiro João Santana afirmou nesta quarta-feira (17), por meio de nota, que ele e a mulher, a publicitária Mônica Moura, cancelaram, em fevereiro do ano passado, uma passagem de retorno ao Brasil após terem sido alertados pela então presidente Dilma Rousseff sobre a expedição de uma ordem de prisão contra o casal  – a ex-presidente diz que as declarações de Santana e Moura na delação premiada são “mentirosas”.
Na nota, o publicitário responsável pelas campanhas presidenciais de Dilma em 2010 e 2014 também contesta trechos de entrevista concedida pelo ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo ao jornal “O Globo” na qual o petista nega que tenha havido caixa 2 nas duas eleições.
Segundo Santana, o ex-titular da Justiça – que atuou como advogado de Dilma no julgamento do processo de impeachment – agiu “de forma cínica” ao afirmar que não houve pagamentos não contabilizados nas campanhas de 2010 e 2014. “Pra cima de mim, José Eduardo?”, ironizou o marqueteiro em trecho da nota.

Nenhum comentário:

Postar um comentário