banner

banner

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Em nota, MP justifica ação que cobra R$ 38 milhões do Grupo Guararapes

facção
O Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou nota oficial na tarde desta quinta-feira, 14, para justificar a ação civil pública que pede uma idenização do Grupo Guararapes, no total de R$ 38 milhões, em razão de irregularidades trabalhistas encontradas em  facções têxteis terceirizadas ao grupo empresarial no Rio Grande do Norte.
A ação civil pública recebeu fortes críticas da classe política potiguar. O deputado federal Rogério Marinho (PSDB) considerou a medida como “atentado contra o RN e deve ser repudiado por toda a sociedade”.
O presidente do Grupo Guararapes, Flávio Azevedo, utilizou as redes sociais para reprovar a medida. Ele anunciou que pode credenciar facções têxteis na Paraíba e no Ceará, deixando de investir mais no Rio Grande do Norte, em caso do prosseguimento da ação judicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário