banner

banner

terça-feira, 12 de setembro de 2017

MPF diz que Cabral pode ter comprado voto para Rio sediar Olimpíada 2016

policia_federal_generica_1
A cooperação internacional que resultou na Operação Unfair Play, deflagrada pela Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e a Receita Federal, investiga  suposta compra do voto do presidente da Federação Internacional de Atletismo, Lamine Diack, por US$ 2 milhões, para que ele fosse favorável à escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016. De acordo com o MPF, a compra pode ter sido feita por organização criminosa comandada pelo ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, preso em Bangu..
Segundo o ministério, há “vasta documentação e provas robustas” para o caso. Foram emitidos pela 7ª Vara Federal no Rio de Janeiro mandados de prisão preventiva contra o empresário Arthur Soares, conhecido como “Rei Arhtur,” que mora nos Estados Unidos, e a sócia dele Eliane Pereira Cavalcante, presa pela manhã em Laranjeiras, na zona sul do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário