banner

banner

segunda-feira, 26 de março de 2018

TJ e MP analisam tortura em Alcaçuz denunciada por professora da UFRN

rebelião em Alcaçuz
As denúncias de tortura na Penitenciária de Alcaçuz, feitas pela professora da UFRN Juliana Melo, já estão sendo analisadas pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) e pelo Ministério Público Estadual (MPRN). “São relatos graves e pedi aos meus colegas que fizessem a sua própria leitura dos fatos”, destacou o desembargador Gilson Barbosa.
Na sessão da Câmara Criminal do TJRN dessa terça-feira, 20, o artigo da revista Época que traz o relato da professora foi lido pelo desembargador Gilson Barbosa, que é o vice-presidente do tribunal. Juliana Melo afirmou, no texto, que presos estão sendo torturados, inclusive com choques elétricos, desde a rebelião de janeiro de 2017, quando o Governo do Estado divulgou 26 mortos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário