banner

banner

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Twitter e Facebook dizem ao TSE que Bolsonaro não contratou impulsionamento de conteúdo

Twitter
O Twitter e o Facebook informaram nesta segunda-feira (12) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que a campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro não pagou para as duas empresas disseminarem conteúdo na internet. As manifestações das duas redes sociais foram enviadas após o ministro Luís Roberto Barroso, relator da prestação de contas de Bolsonaro, determinar que as empresas informem se a campanha pagou pelo impulsionamento de conteúdo. Além de Twitter e Facebook, o Google, o Instagram e o WhatsApptambém deverão prestar informações.
Esta foi a primeira eleição com permissão para impulsionamento de conteúdo para fins eleitorais. Como regra, contudo, precisava ser identificado de forma inequívoca e contratado exclusivamente por partidos políticos, coligações, candidatos ou representantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário